MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2016: 2766712
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Microsoft Azure Stack - Porque Necessitará de Hardware Homologado

Como já é esperado por todos os profissionais de TI MIcrosoft, o lançamento do Azure Stack é aguardado com grande expectativa. O lançamento estava sendo esperado junto com o Windows 2016, mas agora foi adiado para o meio do próximo ano.

Basicamente, o Azure Stack é a mesma estrutura do Azure, mas para ambientes on-premisse com o novo portal.

A Microsoft já teve esse produto no passado como CPS by Dell (Cloud Platform System) que era um rack de servidores já com System Center e o Windows Azure Pack configurados para fornecer soluções de cloud "dentro de casa".
https://www.microsoft.com/en-us/cloud-platform/cloud-platform-system

A evolução do produto foi evidente, o novo portal do Azure comparado ao portal anterior com seus novos recursos e features foi o que nos fez esperar tão ansiosamente o Azure Stack.

O que mudou agora?

Assim como no CPS, o Azure Stack irá integrar updates de software e hardware e capacidades avançadas de biling, monitoração e balanceamento de recursos.

Adicionalmente, os potenciais usuários desse tipo de produto são empresas que precisam de modelos cloud e Datacenters comerciais.

Sendo assim, não é possível rodar o Azure Stack em qualquer hardware e garantir a criticidade do ambiente com SLA de 99,95% que é o desejado para este tipo de ambiente.

Uma vantagem do Azure Stack sobre o CPS é que o CPS era um produto Microsoft By Dell e o Azure Stack permitirá que qualquer fabricante homologue o hardware!

Essa não é uma mudança de rumo

Apesar do Azure Stack ter sido publicamente liberado, sempre se soube que ele exigiria um hardware mais "pesado" e que este tipo de solução necessita o uso de hardwares homologados.

Todos que já trabalham com soluções de Datacenter sabem que modelos como o CPS da Microsoft e o VCE da VMWare+Citrix+EMS são essenciais para garantir que todos os recursos de servidores, storages e networking interajam entre si sem queda de performance, perda de recurso ou incompatibilidades.

 

Enfim, o Azure Stack será um grande lançamento e uma enorme evolução no modelo de nuvem privada da Microsoft, mas não espere executá-lo naquele servidor que você tem em casa  ;-)

http://www.computerworld.com/article/3106743/cloud-computing/heres-why-azure-stack-will-only-run-on-certain-hardware.html
http://windowsitpro.com/hybrid-cloud/microsoft-s-azure-pack-delayed-allow-partners-time-certify-hardware

Microsoft Virtual Machine Converter (MVMC)–Retirada do Produto

A Microsoft anunciou esta semana a retirada do MVMC como produto já no final deste ano.

https://blogs.technet.microsoft.com/scvmm/2016/06/04/important-update-regarding-microsoft-virtual-machine-converter-mvmc/

Para quem não conhece o MVMC ou não lembra sua função, ele é um plugin para converter maquinas fisicas (P2V) ou virtuais de outras plataformas (V2V) para VMs no Hyper-V.

 

O que usar no lugar do MVMC?

A sugestão apresentada é utilizar o Azure Recovery Site, mas ele na verdade é um serviço e não seria útil quando o desejo é subir VMs em ambiente on-premisse.

Porem, no caso do cliente que quer transformar o ambiente fisico (P2V) para nuvem (IaaS) o Azure Recovery Site é a melhor opção.

E para quem precisa fazer V2V hospedadas no VMWare para o Hyper-V pode utilizar o próprio VMM (System Center Virtual Machine Manager) que processa a conversão nativamente.

Por fim, para os casos de conversão de maquinas fisicas para virtuais (P2V) pode-se usar o Disk2VHD como já comentado em outras ocasiões e é um produto muito conhecido para gerar VHDs a partir de discos fisicos, que abordei em 2009: http://www.marcelosincic.com.br/post/Ferramenta-para-converter-HD-fisico-(em-uso)-para-VHD.aspx

Link do Disk2VHD: https://technet.microsoft.com/en-us/sysinternals/ee656415.aspx

Volume de Storage Space não Remonta no Boot

Um problema recorrente que temos agora que diversos clientes passaram a usar o Storage Space para montar volumes RAID é ele não retornar montado quando a máquina é reiniciada.

SINTOMA

Todas as vezes que um servidor que tem discos configurados a partir do Storage Spaces do Windows 2012, é necessário ir em Volumes e refazer o Attach do disco.

No Server Manager, configuração de volumes do Storage Space abaixo, na coluna de warnings aparece um aviso amarelo, indicando que o disco está ok e com o botão direito acessamos o Attach e ele retorna a aparecer no servidor com a mesma configuração e letra definidos originalmente.

Imagem1

CAUSA

Quando um Storage Space é montado, uma das opções que se pode definir pelo PowerShell (é automático na GUI Server Manager) é o IsManualAttach que deverá estar em True.

Quando o disco é movido de um servidor para outro ou redefinido por adição de disco o Manual Attach retorna ao padrão que é False.

SOLUÇÃO

A solução é muito simples, utilize o PowerShell abaixo para listar os volumes que estão como manual:

get-virtualdisk | where IsManualAttach

Será gerada uma lista como a copiada abaixo, onde pode-se ver que o IsManualAttach está habilitado:

Capturar

Utilizando o nome do disco, que é o nome que aparece no Windows Explorer, você pode desativar o attach manual:

Set-VirtualDisk –FriendlyName RAID-VMs -IsManualAttach $False

Posted: nov 18 2015, 15:32 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Utilizando Ferramentas Dell com o SCCM

A Dell possui duas ferramentas muito interessantes para integrar com o SCCM.

A primeira é o Dell Command | Configure que permite criar executáveis para configurar os desktops e notebooks da empresa. Disponível em http://en.community.dell.com/techcenter/enterprise-client/w/wiki/7532.dell-command-configure

O segundo é o Dell Command | Warranty que traz online os dados de garantia, atendimento e compra de cada equipamento registrado no SCCM. Disponivel em http://en.community.dell.com/techcenter/extras/m/mediagallery/20441033/download

Dell Command | Configure

É necessário nas empresas ter a segurança padronizada, opções especificas nas maquinas ou padronização de recursos. Por exemplo, habilitar o PXE, TPM, senha de alteração de BIOS, ordem de boot, opções de economia de energia, desabilitar recursos do HW (placas, USB, eSata) e qualquer outra opções existente no BIOS.

Essa ferramenta é muito simples de instalar e utilizar, como pode ser vista a tela principal do console de criação das configurações, sendo as opções:

  • Criar um pacote para qualquer equipamento, o que pode ter opções não existente em todos os equipamentos da empresa
  • Criar um pacote com base no equipamento local, onde apenas o que é do modelo que está sendo usado para o console aparece, util quando todos os equipamentos são padronizados
  • Abrir um pacote já criado para editar ou clonar
  • Histórico dos pacotes criados, editados e exportados

Dell Command-1

Para iniciar a criação de um pacote basta clicar no botão Edit e selecionar a opção desejada:

Dell Command-2

Neste caso configurei a ordem de boot das maquinas para evitar que seja utilizado o DVD ou USB como boot principal. Note que no console temos o botão Add Device que possibilita configurar todos os tipos de device, na ordem desejada.

Dell Command-3

Após as edições, basta clicar no botão Export Config para salvar o pacote com o objetivo de depois poder alterá-lo ou Export .EXE para gerar o executável e o arquivo sh que contem os metadados para ser importado no SCCM:

Dell Command-4

Dell Command-5

Logo após gerar o executável, o próximo passo é no console do SCCM usar o botão Import Dell Command | Configure Package como a imagem abaixo mostra. Importante lembrar que as duas pastas dentro de Packages são criadas pelo instalador:

Dell Command-6

Uma vez criado o pacote, salvo o executável e importado para o SCCM o processo é como qualquer outro pacote, fazendo o Deploy para as coleções que deseja configurar o BIOS.

Dell Warranty

Ao baixar e instalar o Dell Warranty ele cria um atalho que abre a janela de comando, já que a ferramenta não tem interface gráfica da Dell. Abaixo inclui o link da ferramenta gráfica da Microsoft disponível na biblioteca TechNet:

Iniciar

Dell Warranty

Note na janela acima que o primeiro comando serve para indicar onde estão os dados do SCCM, por meio do banco de dados. Abaixo o comando DellWarranty-CLI faz o link para o banco de dados do SCCM:

Dell Warranty-1

Na sequencia já podemos pedir para o utilitário com o comando DellWarranty-CLI trazer todos os dados de garantia, como a imagem abaixo demonstra com o resultado em CSV:

Dell Warranty-2

Pode ser visto o nivel de detalhes, como tipo de compra, modelo completo, garantia, tipo de garantia e atendimento, etc.

Com a ferramenta Dell Warranty Extension disponivel em https://gallery.technet.microsoft.com/Dell-Warranty-Status-20-ae67cc13 é possivel ver estes dados clicando com o botão direito no equipamento:

image

Posted: ago 03 2015, 17:14 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Deduplicação do Windows Server 2012 R2 com Hyper-V

Ontem em um cliente usei o meu servidor para as Demos de System Center e ele se interessou quando disse que utilizava o recurso Deduplication (ou Dedup) do Windows Server 2012 R2. Consequentemente, a reunião migrou do System Center para otimização de discos com o Hyper-V.

Afinal de contas, o ganho com Dedup em VHDs é impressionante, chegando no meu caso a quase 80% de espaço adicional:

image

Importante: Primeiro ponto nessa conversa é deixar claro que a Microsoft não suporta Dedup para Hyper-V em hosts de Hyper-V para VMs em produção. O motivo é explicado no TechNet http://technet.microsoft.com/en-us/library/hh831700.aspx, e basicamente é porque Dedup em ambiente onde os arquivos estão abertos pode gerar diversos erros:

“Deduplication of open files has not been fully validated for general virtualization or other applications, and additional issues may be encountered.”

Porem, surgem sempre duas perguntas neste caso:

Pergunta 1: Mas o Dedup do Windows 2012 R2 pelo PowerShell tem o modo “Files” e o modo “Hyper-V”, como não é suportado?

Resposta: Para Hyper-V só é suportado para ambiente VDI, onde as maquinas são de usuário com SO cliente. Como em geral ambientes de VDI utilizam o modo de pool e uma única VM é duplicada a cada nova seção, se 100 usuário estão online teríamos 100 VHDs sendo criados dinamicamente com dados duplicados.
Neste caso fica evidente que o uso do Dedup será suportado, uma vez que os VHDs são dinamicos e não estão o tempo todo em uso. Alem disso em geral são utilizados discos diferenciais, mantendo o disco parent imutável.

Pergunta 2: Se não é suportado, porque eu estou usando?  ;-)

Resposta: Não é suportado, mas no meu caso não é ambiente de produção e utilizo Dedup manual:

image

Não mantenho meu servidor 24 horas por dia ligado, então quando todas as VMs estão paradas, normalmente faço isso semanalmente, inicio o Job do Dedup com o comando:

Start-DedupJob -Type Optimization -Volume X:

Depois basta monitorar se o Job já terminou com Get-DedupJob:

Capturar2

Assim, meus arquivos VHD não correm o risco de serem manipulados enquanto estão em uso e garanto que periodicamente está sendo atualizado o Dedup.

Porem, é sempre bom lembrar que para não ter problemas o ideal é ter um disco ou volume separado para os VHDs, pois na configuração do Dedup este volume estará configurado como VDI (ou Hyper-V no PowerShell):

image

Posted: jan 09 2015, 18:20 by msincic | Comentários (3) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login