MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Tags

Novas ferramentas de migração para Windows 2008 R2

Como muitos já sabem, a Microsoft vem preparando o ambiente para fazer a migração do Windows 2003 para o Windows 2008 R2, incluindo os serviços individualmente.

No inicio do ano gravei e foi publicado no TechNet os videos de migração para Windows 2008, ainda antes do R2, abrangendo a instalação completa e alguns serviços do Windows.

No mes passado realizamos um webcast de migração, agora atualizado para Windows 2008 R2.

Agora saiu um beta de novas funcionalidades para as ferramentas de migração para o Windows 2008 R2, com adendo para Hyper-V e RRAS.

Videos de migração para Windows 2008: http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/Videos-do-TechNet-serie-Migracao.aspx

Webcast de migração de serviços para Windows 2008 R2: http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/TechNet-Webcast-Migracao-para-Windos-Server-2008-R2-Conheca-as-ferramentas.aspx

Novas ferramentas (Beta) para Windows 2008 R2: https://connect.microsoft.com/site/sitehome.aspx?SiteID=468 (clique em download)

Posted: dez 03 2009, 10:39 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 2008

Cursos de Windows 2008 dão cópia do Windows 2008 Standart full (NFR)

Fiquem espertos que a partir de amanhã A Green estará divulgando a nova campanha Microsoft.

Começamos no ano passado com a companha que dava a licença do SQL Server 2008, recentemente iniciou a que inclui o Windows 7 Ultimate e o voucher (http://www.marcelosincic.com.br/Blog/post/Curso-6292-de-Windows-7-da-exame-e-licenca-do-Ultimate-de-graca-!!!.aspx) e agora a campanha será o Windows 2008 Server Standard Not-For-Resealer ou NFR (não pode ser comercializado) e desconto no exame de certificação.

Os treinamento que trazem a campanha são o 6421 e o 6430 e vale a pena fazer junto com os pacotes de MCTS que os centros de treinamento oferecem.

Posted: nov 17 2009, 16:13 by msincic | Comentários (3) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Experimente o Microsoft Online Services

A Microsoft liberou para o Brasil os serviços online baseados em Cloud Computing, sendo possivel utilizar por 30 dias cada um dos serviços gratuitamente.

Entre no endereço http://www.microsoft.com/online/pt-br/products.mspx e veja que é possivel criar uma simulação de valores já validos no mercado brasileiro, apesar claro, de apresentar a conta em U$.

Eu fiz uma simulação, por exemplo, 50 usuarios de Exchange, mas 20 de Sharepoint e 10 de Office Live Meeting, sem levar em conta as licenças SA:

 

Agora, fiz a mesma simulação com o cliente tendo já contrato Software Assurance (SA) das mesmas licenças e o valor cai em 40%: 

O site é muito simples de verificar, clique em um dos produtos na página que indiquei no inicio e veja que na barra lateral direita tem a opção de "Calcule o custo estimado".

Importante: Já é possivel fazer a degustação, mas ainda não está liberado para compra.

Posted: nov 16 2009, 23:04 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Outros

Curso 6292 de Windows 7 dá exame e licença do Ultimate de graça !!!

Quem comprar o curso 6292, que por sinal é um curso excelente, ganhará um voucher de 100% para os exames de Windows 7.

Vale a pena e já estou ministrando esta semana a primeira turma de Windows 7 oficial, olha o MOC abaixo. A próxima turma de Windows 7 que vou ministrar será em 14/12.

Posted: nov 12 2009, 18:37 by msincic | Comentários (3) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 7

Problema ao enviar email: 550 5.7.1 Unable to relay

O Relay é um processo natural que pode ser traduzido por "encaminhamento", quando um servidor é utilizado para enviar mensagens para outro dominio ou servidor.

Veja a imagem abaixo e note que o usuário João está tentando enviar um email para a Maria.


Como já sabemos as mensagens não como Instant Messenger que passam diretamente de um computador ao outro. O email precisa ser enviado para um servidor, no exemplo do UOL.com.br, e ele envia ao outro servidor, no exemplo o EMPRESA.com.br. Este processo é chamado de relay, pois o email é de um cliente do UOL direcionado a um cliente de outro dominio e o servidor precisa entregar.

O relay é proibido em duas situações:

1- O destinatário do email não é do servidor que está recebendo. Exemplo: Tentar enviar um email utilizando como SMTP o Yahoo para um endereço do Gmail.
2- O emissor do email é do dominio e não se autenticou. Exemplo: Tentar enviar um email utilizando como SMTP o Yahoo, sendo que meu email é do Yahoo mas eu não passei usuário e senha para o servidor SMTP.

A solução para um problema de relay é muito simples: No seu cliente de email indique o servidor de saida (SMTP) exige autenticação e informe o mesmo usuário e senha que utiliza no POP3.

Mas surgem algumas situações especiais, por exemplo, o problema de relay está acontecendo com o WSUS, System Center ou outros.

Porem, a solução é a mesma. Se o endereço que você indicou como servidor SMTP é, por exemplo, smtp.yahoo.com.br você obrigatoriamente precisa ter um usuário e senha do Yahoo. Não adianta usar um usuário e senha que não seja do mesmo dominio que o SMTP.

Note abaixo a tela de Email Notification do WSUS e veja que o usuario que aparece no nome pode ser outro que não o de autenticação.


Isso acontece porque é necessário para o servidor saber se você realmente está autorizado a enviar emails utilizando seus serviços, e após autenticado vc pode enviar email com qualquer endereço, mesmo que este não exista.

HAAHAA !!!!!  Agora você entendeu porque recebe um monte de email com nomes que não existem (naoresponder@xyz.com.br) e quando tenta responder indica que é inválido e fica a pergunta "se é inválido como que eu recebi?"

Agora você já sabe, o usuário que se autenticou é o joao@xyz.com.br e ele enviou email com o nome naoresponder@xyz.com.br.

COMO TESTAR SE SOU UM RELAY NA INTERNET

Muitas vezes somos um relay e não sabemos, ou seja, qualquer pessoa pode usar nosso servidor para enviar emails para terceiros. Exemplo, o que faz um spammer.

Para testar entre no command prompt e siga a sequencia de comandos:

TELNET <seudominio.com.br> 25  (ou seja, porta 25 de SMTP)
HELO XYZ.COM.BR   (indica o dominio de origem)
MAIL FROM: papainoel@XYZ.com.br  (indica o endereço de origem)
RCPT TO: joao@xyz.com.br  (endereços de destino)

Note que "papainoel" não é usuario do dominio <seudominio.com.br> e o "joao" tambem não, portanto a ação é ilegal, tipica de spammer. É neste momento que deveria retornar a mensagem do titulo "unable to relay".

Para coibir isso procure em seu servidor de email a opção que permite envio de emails (ou relay) apenas para usuários autenticados. Com isso, até aconteceria o que vimos antes, o João mandar email no nome da Maria, mas neste caso no log do servidor indicaria que a conta utilizada foi do João.

Ok, espero ter ajudado e se precisar resolver o problema em seu servidor de email e o que são os problemas de relay. Qualquer dúvida post nos comentário, e se foi util para vc tambem !!! 

Posted: nov 11 2009, 15:41 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 5/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Outros
Login
Marcelo de Moraes Sincic | Utilizando Fitas (Tape Drives) no DPM 2010–Parte II
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Tags

Utilizando Fitas (Tape Drives) no DPM 2010–Parte II

Neste segundo post iremos tratar de como trabalhar com o tape drive e administrar as fitas no DPM 2010. No primeiro post abordamos a parte funcionar (Utilizando Fitas (Tape Drive) no DPM 2010–Parte I).

O gerenciamento de fitas no DPM é relativamente simples, mas importante para as atividades, principalmente quando falamos de robos com co-location habilitado.

Inicialmente, na imagem abaixo vemos um robo de fitas, a TL2000 da Dell que utiliza o drive 3573 da IBM.

Note que temos uma unidade de fita e um carrosel de 24 slots (o primeiro está carregado no drive) e cada fita tem um barcode e label indicando sua utilização.

Tape Drive

  • Status – Obviamente indica se a fita está livre ou disponivel. É importante que este campo só mostra se a fita está vazia, disponivel para uso ou danificada, porem o estado disponivel (Tape available) não indica que a fita está livre ou vazia, apenas que a fita não está com problemas
  • Tape Label – O DPM utiliza este campo para indicar o que está dentro da fita, no caso utilizando o nome do grupo de proteção mais um código sequencial como indicativo visual para o administrador de backup. O estado Free obviamente indica que a fita não contem dados ou que estes já expiraram, conforme a politica de renteção long-term do grupo de proteção
  • Barcode – Indicador unico de cada fita, o barcode lhe permite identificar a fita, mas não permite fidelizá-la, o que é uma limitação do DPM que muitos criticam, porem é importante notar que o próprio DPM gerencia isto automaticamente, principalmente em robos
  • Offisite Ready – Indica que a fita está com o backup. Nos casos em que o co-location estiver habilitado e existe o robo este dado pode não ficar disponivel por deixar a fita a espera de outros backups, porem nos casos de tape drives sem robo este dado indicaria que aquela fita já foi usada para o backup e que deve ser tirada, e quando o co-location estiver habilitado que a fita já está cheia e não é possivel continuar a utilizá-la

    O que é o Co-location?

    Esta opção permite ao DPM utilizar melhro as fitas por combinar backups. Por exemplo, uma fita LTO-3 pode ser de 800GB e o backup dos dados utilizar apenas 200GB, assim o restante da fita acomodaria outros conjuntos de backup e otimizariamos a necessidade de mais fitas.

    Para ativar abra o DPM Management Shell e utilize o comando:

    Set-DPMGlobalProperty –DPMServerName <Servidor> -OptimizeTapeUsage $True

    Quando usar o Co-location?

    Nos casos de não haver robo, apenas a unidade de fita, esta opção irá ajudá-lo por permitir que uma mesma fita contenha multiplos backup.

    Por outro o lado o co-location pode atrapalhar quando um dos backup não estiver expirado e a fita ficar cheia. Por exemplo, imagine que a mesma fita arquivou backup do servidor de arquivos e do SQL Server por 3 ciclos de retenção (1 mês com backups a cada 7 dias). Esta fita encheu e como os dois primeiros backups estão expirados mas o ultimo ciclo não, a fita não fica livre e não pode ser reutilizada até que o terceiro expire.

    Por outro lado, se você possui o robo este utilizará a fita até o final com vários conjuntos de backups e passará para a próxima fita ao final.

    Operações com Fitas

    O menu abaixo mostra as opções que podem ser utilizadas com as fitas:

    Options Tape

    • Inventory Library –Esta opção faz a leitura de todas as fitas no carrousel ou a fita que está no drive caso seja unico. Em casos em que uma fita aparece nos alertas como “suspect” ou “unreadable” esta opção resolve o problema por reinventaria todas as fitas
    • Rescan e Refresh – Utilizadas para o DPM reconhecer novas unidades de fita (tape drives)
    • Clean Drive – Pede a fita de limpeza do drive
    • Remove e Add Tape (I/E port) – Abrem a porta do tape para retirada ou colocar novos tapes
    • View Tape Contents – Retorna o catalogo da fita, com os backups que ela contem e a data de expiração
    • Erase Tape – Deleta os dados de uma fita, util quando ela ainda contem dados que não expiraram
    • Mark as Cleaning Tape e Unmark Tape as Free – Estas opções indicam que a fita está livre ou não, sendo que neste ultimo caso é util para quando se deseja guardar permanentemente o backup

    Com este segundo post vimos como administrar as fitas, no terceiro e ultimo veremos como criar as politicas de backup.

  • Leia a parte I – Criando grupos de proteção com uso de tapes Utilizando Fitas (Tape Drive) no DPM 2010–Parte I

    Leia a parte III – Criando sua politica de backups tapes http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Utilizando-Fitas-(Tape-Drives)-no-DPM-2010e28093Parte-III.aspx

    Posted: jul 16 2011, 02:01 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
    • Currently 0/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
    Os comentários estão fechados
    Login