MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Green IT no System Center Configuration Manager R3 - Power Management

Enquanto aguardamos mais informações sobre o vNext (veja post http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Roadmap-da-familia-de-produtos-System-Center.aspx) vale a pena conhecer o novo recurso do R3 "Power Management".

O processo é bem interessante, formado por tres partes a serem utilizadas. Primeiro vá ao menu de "Client Agents" e habilite o agente "Power Management". O segundo passo é ir sobre uma das coleções e com o botão direito acessar a opção "Modify Collection Settings" e configurar os planos de energia. E o terceiro passo é instalar e executar os relatórios. Vou detalhar abaixo as telas a serem seguidas e o resultado:

 

1- Habilitando o agente para gerenciamento de energia no cliente

2- Criando um perfil de gerenciamento centralizado na collection

 

3- Relatórios gerenciais para acompanhamento e comparativos com gerenciamento de energia centralizado

NOTA: Se você não tem os relatórios na sua lista acesse o post http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Instalando-os-relatorios-da-feature-Power-Management-do-SCCM-R3.aspx

Posted: nov 05 2010, 23:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Suporte a Intel vPro no System Center Service Manager e no Configuration Manager

No webcast que realizei com o Wesley (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/TechNet-Webcast-Visao-Geral-Tecnica-System-Center-Configuration-Manager-2007-SP2-e-R3-dia-262010.aspx) comentamos que o Configuration Manager SP2 tem suporte ao Intel Core vPro. Hoje fo anunciado que o Service Manager 2010 também terá suporte a tecnologia Intel vPro. Porem já recebi 5 emails me perguntando o que é o Intel Core vPro.

O Intel Core vPro é uma tecnologia que a Intel criou para suporte e funcionalidades envolvendo consumo de energia de uma máquina.  Como o foco é a parte de gerenciamento, com o vPro é possivel capturar o console de uma maquina diretamente pelo processador !!!

Imagine a situação onde um computador recebe um novo hardware, precisa de uma atualização de dados da BIOS ou firmware, alterar alguma configuração da BIOS ou mesmo uma tela azul causada por software ou hardware (exceto processador, obviamente). Com o Intel vPro o administrador acessa remotamente a console BIOS da maquina destino pelo rede, um console real.

Coloque este cenário no SCCM ou no SCSM e você poderá resolver um problema em um servidor mesmo que este esteja na tela de inicialização acusando que o disco primário ou a controladora SCSI está desconectada ou mal configurada. Com o Intel vPro você conseguirá entrar remotamente configurar ou apenas apertar o F1 como é comum nestes casos sem ter que se movimentar fisicamente.

Este recurso, como vocês podem supor, é essencial para datacenters e ambientes remotos sem administração localizada. Se você tem interesse em utilizar este recurso saiba que é precisa configurar o Out-Of-Band Management e ter certificados digitais. Veja o procedimento no video localizado em http://www.microsoft.com/belux/technet/nl/chopsticks/default.aspx?id=998

Alem disso você também conta com uma série de recursos que permitiram monitorar e gerenciar melhor o consumo de energia do hardware. Estes recursos podem ser vistos em detalhes no link ao final deste post.

Fonte SCSM: http://blogs.technet.com/b/systemcenter/archive/2010/06/14/latest-intel-core-vpro-processor-remote-management-capabilities-available-for-system-center-service-manager.aspx

Fonte técnica do vPro: http://www.intel.com/portugues/products/vpro/index.htm

Migrando e removendo o Exchange 2007 para Exchange 2010

Este processo de migração não é misterioso nem com grau de dificuldade “missão impossível”. Iniciando ontem a tarde e termino hoje de madrugada fizemos a migração de dois ambientes com Exchange 2007 para Exchange 2010.

O processo é o mesmo que migrar de Exchange 2003 para Exchange 2007, side-by-side. Cria-se o novo servidor que automaticamente irá participar da mesma organização, migrar as caixas de correio e alterar o servidor responsável pela OAB.

Para quem não conhece o processo Exchange 2003 para Exchange 2007 veja os vídeos da série migração em http://technet.microsoft.com/pt-br/ee331664.aspx.

Porem, o Exchange 2010 vai dar um baile em quem vem do Exchange 2007 em alguns pontos e é sobre estes que vou abordar, depois de ficar até as 5:30 da manhã em mais uma migração “batendo cabeça”.

Bloqueio de anexos no OWA (Fácil)

O OWA irá barrar arquivos anexados de qualquer tipo se não for feita a configuração EM CADA SERVIDOR CAS. A primeira tela abaixo mostra a configuração que deve ser ativada e a segunda a lista de arquivos bloqueados/permitidos:

Tela-1

Tela-2

 

Rodar o Exchange 2010 no Outlook 2003 (Fácil)

O Exchange 2010 exige que o tráfego RPC seja criptografado, então é necessário alterar o perfil do usuário do Outlook 2003 para que ele utilize criptografia na comunicação. Você conseguirá ver isso utilizando o cmdlet Get-RpcClientAccess | fl e verificando o atributo “Encryption Required” que deverá estar “true”.

Basta ir no Outlook, editar o perfil e selecionar a opção “Encrypt data between Outlook and Microsoft Exchange” que fica na aba “Security” do Outlook 2003.

Alterar o servidor de envio de emails (Fácil)

Ao criar os “Send Connectors” (Organization –> Hub Transport) ele vincula o conector ao servidor ativo no momento.

Basta abrir cada um dos conectores de envio, acrescentar o novo servidor e remover o anterior.

Alterando o gerador da Lista de Endereço Offline-OAB (Fácil)

Apenas um servidor gera a lista que é baixada no cache do Outlook Office e OWA. Mude ela para o novo servidor:

image

Alem disso, se na sua organização não se utilizam mais versões de Office anteriores a 2003, você pode mudar o modo de distribuição da OAB, como abaixo. Importante que nos passos a frente um deles será retirar as pastas públicas e a distribuição da OAB por ela pode se tornar inconsistente.

image

Remover o Mailbox Default da instalação (Médio)

Ao instalar o Exchange 2010 ele cria um mailbox com um valor identificador numérico randômico onde ele hospeda as caixas de correio do sistema chamadas de “arbitrárias”. Para conseguir remover este mailbox primeiro deverá mover as caixas de sistemas para outro database com o cmdlet abaixo:

Remover Mailbox Default

O primeiro deles Get-Mailbox –Database <nome> –Abitration irá listas as caixas de correio e o segundo Get-Mailbox –Arbitration –Database <Nome> | New-MoveRequest –TargetDatabase <nome do novo MB> executa a lista e envia para o pipe de move.

Remover as Pastas Públicas do servidor anterior (Dificil)

Você precisará remover o conteudo das pastas publicas. Se possui pastas publicas criadas pelos usuarios ou adicionais primeiro será necessário fazer a réplica para o novo servidor, esperar replicar e remover da réplica o servidor original. Isso pode ser feito pela ferramente “Public Folder Management” que está em Tools no console do Exchange.

Para mover todas as pastas públicas de sistema você deverá executar o script MoveAllReplicas.ps1 que está na pasta scripts da instalação do Exchange passando como parametros –Server <atual> –NewServer <novo>. Ainda outro passo necessário será ir em cada Mailbox e na aba “Client Settings” mudar a pasta pública que é utilizada como padrão em cada um dos databases.

Se após estes passos mesmo assim você não conseguir remover o role Mailbox haverá necessidade de fazer um contorno documentado que envolve abrir o ADSIEDIT.msc e seguir o caminho:

Configuration -> Configuration -> Services -> Microsoft Exchange –> Organização-> Administrative Groups –> Grupo Administrativo -> Servers –> Servidor 2007 -> InformationStore –> Storage Group desejado

Na parte direita da tela aparecerá a lista de storages armazenados naquele grupo. Delete manualmente o de pasta pública.

NOTA: É altamente recomendado fazer o backup do AD antes de executar o ADSIEDIT

Ajustar as regras do ISA ou TMG para o ECP - Control Panel do Exchange 2010 (Difícil)

Nas regras do OWA do ISA 2004, ISA 2006 ou Forefront TMG para o Exchange 2003 e Exchange 2007 havia apenas um diretório virtual a ser publicado, o OWA. Agora no Exchange 2010 existe também o diretório virtual ECP.

Para ajustar a regra de publicação abra suas propriedades e altere na aba Paths como a imagem abaixo incluindo o diretório virtual do ecp como prefix:

image

Ajustar o IIS para acessar o ECP e OWA (Difícil)

Ainda neste ponto existe o problema de que o ECP não entre por causa do modo de autenticação no IIS. Para ajustar isso acrescente na instalação do Web Server em Roles do Windows a feature de autenticação anônima e no diretório virtual do IIS acrescente este tipo de autenticação, bem como a Basic e a Windows:

image

Essa mudança é feita no diretório virtual do ECP, mas caso você tenha problemas para acessar o OWA após a migração desabilite o modo Forms e habilite os modos Basic e Windows no diretório virtual OWA.

CONCLUSÃO

Estas dicas me ajudaram a conseguir fazer o processo de migração já a algum tempo, mas compartilhar as experiências sempre é importante. Se você também tem algum ponto adicional no processo da migração Exchange 2007 para Exchange 2010, envie nos comentários e acrescentarei neste post.

Posted: nov 05 2010, 14:40 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Exchange Server

Palestra no ENIAC de Guarulhos-Gerenciando ambientes com System Center

Ontem realizei as duas palestras de System Center no ENIAC de Guarulhos, fechando a Semana de Tecnologia da faculdade.

Mais uma vez agradeço aos professores pela recepção e aos alunos pela participação nas duas seções. Segue a foto da segunda turma:

P2810100001

Segue os slides para consulta: PPT System Center.pdf (1,20 mb)

Posted: out 29 2010, 11:09 by msincic | Comentários (2) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

E-Book gratuito: Desenvolvendo para Windows Phone 7

Foi lançado agora simultaneo ao PDC2010 o livro Programming Windows Phone 7, by Charles Petzold com 38 MB em PDF e mais de 1000 páginas sobre como desenvolver para esta nova plataforma.

Segundo Ballmer no PDC 2010, o Windows Phone 7 é mais do que apenas mais um telefone, é uma nova plataforma para dispositivos móveis.

Segue o link: http://blogs.msdn.com/b/microsoft_press/archive/2010/10/28/free-ebook-programming-windows-phone-7-by-charles-petzold.aspx

Posted: out 28 2010, 14:57 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows Mobile
Login
Marcelo de Moraes Sincic | janeiro 2012
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Licenciamento do System Center 2012–Server e Client

Foi noticiado o novo modelo de licenciamento do System Center 2012, o que facilitou muito a forma como vendemos o pacote de produtos. Realmente o fato de agora não termos mais licenças individuais para cada um dos 8 produtos que fazem parte da familia System Center 2012 é uma vantagem. Porem, é importante relembrar dois fatores que muitos estão deixando de lado:

  1. O System Center atual já possuia uma forma de licenciamento chamada de Suite Enterprise que envolvia todos os produtos
  2. O licenciamento por cliente ainda continua existindo, sendo um custo importante no cálculo final, porem também possuia a opção Enterprise CAL Suite

Para o System Center atual fiz alguns cálculos para demonstrar quanto custa algumas implementações em (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Licencas-da-Familia-System-Center-Tipos-e-Precos.aspx) e é bom esclarecer como ficam os mesmos dados agora, incluindo a licença de clientes, e fazer o comparativo.

Licença para Servidores

Agora o licenciamento pode ser Standard ou Enterprise:

  • Standard é para máquinas fisicas ou virtuais e cobre apenas dois processadores e 2 máquinas virtuais ao custo de U$ 1.323
  • Enteprise não limita o numero de servidores para o ecosistema, mas limita o número de processadores fisicos do host ao custo de U$ 3.607

Pode parecer confuso, mas na verdade é simples, imaginando o cenário onde um servidor (hosts) com 4 processadores fisicos:

  • Se você for implementar uma VM para cada funcionalidade, portanto 8 VMs, o ideal seria comprar 2 (duas) licenças Enterprise já que cada licença cobrem 2 processadores e não precisaria “contar” o número de VMs
  • Se você for implementar até 4 VMs agrupando papeis o ideal seria comprar 2 (duas) licenças Standard já que cada licença cobre 2 processadores e até 2 VMs

Nota: No primeiro exemplo acima o custo de ter duas licenças Enterprise é de U$ 7.214 enquanto com a Standard é U$ 5.292. Parece que a decisão deverá ser pensada com cuidado !!!

Licença para Clientes

Temos uma tabela de licenciamento de clientes diferente, pois são 3 licenças dependendo do produto que será utilizado:

image

As licenças não são cumulativas, mas individuais. Portanto se for desejado utilizar o SCCM, SCOM, VMM e o DPM em um determinado servidor será necessário compras a licença de CMC e a de CMSL ao custo de U$ 183. No modelo antigo seria necessário gastar U$ 354 (u$ 157 Licença Server do SCCM e SCOM e U$ 70 pela licença do VMM e DPM que são Suite).

Nota: No pacote atual as licenças para servidores são diferentes das de estações, com custo bem superior.

Simulação

Veja a simulação do custo do System Center 2012 com os mesmos parametros da simulação com a versão anterior, ou seja 1000 clientes e 10 servidores:

Produto Licença Servidor* Licença Clientes Valor Total
Configuration Manager 2012  $             7.214,00  $           62.620,00  $               69.834,00
Operations Manager 2012  Já incluida   $        122.210,00  $            122.210,00
Data Protection Manager 2012  Já incluida   Já incluida   $                              -  
Virtual Machine Manager 2012  Já incluida   Já incluida   $                              -  
Service Manager 2012  Já incluida   Já incluida   $                              -  
Orchestrator  Já incluida   Já incluida   $                              -  
Total  $ 192.044,00
   
*Levando em conta um servidor para cada papel    

Ou seja, temos um custo maior, porem note que na simulação com os produtos atuais não foi cotado o SCSM nem o Orchestrator, o que aumentaria bem o valor final de U$ 113.863

Referências

Seguem os links para os documentos que contem os dados citados neste post:

http://download.microsoft.com/download/0/D/9/0D9DDF52-A855-487B-9B74-5A09A9389551/Windows%20Server%20System%20Center%20and%20Forefront%20Pricing%20and%20Licensing%20Guide.pdf

http://myitforum.com/myitforumwp/wp-content/uploads/2012/01/System-Center-2012-Licensing-Datasheet.pdf

Interface Core e Sistema de Arquivos do Windows 8 Server

Duas novas informações vindas do time do Windows 8 Server são interessantes, uma pela consolidação e mudança na interface e outra por ser uma “novidade” que já era esperada desde o Longhorn (Windows 2008 RTM).

Interface Core

Essa mudança é significativa, apesar de não ser nova por já estar presente no Windows 2008 R2. Porem agora a interface Server Core será o padrão ao invés da interface completa em servidores Windows 8.

Com essa alteração vemos como está sendo bem aceito e fundamentado pelos clientes o uso de um SO Windows com menor consumo de memória (512 Kb no Core contra 1.5 GB com a interface gráfica).

Mas adicionalmente foi acrescentada a possibilidade de alterar entre o modo GUI e o Core, o que hoje não é possivel no Windows 2008 R2. Isso permitirá, inclusive é destacado no anúncio, que um administrador poderá instalar a interface gráfica para configurar o servidor e após terminar retornar para o modo Core, o que será muito bom para os que conhecem pouco de PowerShell.

Referencia http://blogs.technet.com/b/server-cloud/archive/2012/01/11/windows-server-8-server-applications-and-the-minimal-server-interface.aspx

Novo Sistema de Arquivos ReFS

Desde o Longhorn que se falava de um sistema de arquivos baseados em banco de dados e que foi testado e tinha o code name WinFS. Porem o modelo de banco de dados não é como o de arquivos por diversos motivos, mas principalmente na forma de armazenar dados que difere em muito documentos.

Já ouvi muitas vezes pessoas dizendo que o SharePoint guarda arquivos em banco de dados, porem são dados em formatos estruturados e não binários desestruturados como é o caso de um disco. Por exemplo, um doc/gif/jpeg/pdf tem inicio e fim na clusterização do arquivo com conteudo definido pela aplicação, enquanto em um sistema de arquivos como o NTFS guarda dados de criptografia para cada arquivo e dados desestruturados como é o caso do Shadow Copy (VSS).

O que o ReFS irá agregar de conceitos de banco de dados não é o formato BLOB ou CLOB de armazenamento, mas sim a estruturação do sistema de arquivos.

Isso é fácil de se entender quando pensamos que no NTFS original guardava-se os metadados do arquivo em uma “tabela” onde havia data de criação, nome e outros dados comuns, que seram vinculados as listas de permissões ACL/ACE com o “ID” do arquivo. Com o passar do tempo e as evoluções surgiram muitas outras tabelas como criptografia, compressão, BitLocker, Shadow Copy, etc. Com isso o NTFS acabou se dissipando em uma série de “tabelas” que tratam de determinado metadado. Imagine um disco onde o NTFS esteja com criptografia e VSS habilitado quantas diferentes informações estarão espalhadas entre as diversas tabelas especificas de cada recurso.

Já no ReFS será utilizado o conteudo de chave primária para um arquivo e apenas um ID e as tabelas serão unificadas com o conceito de “Key Value” comum em aplicações que utilizam matriz (array) como .NET e Java.

Abaixo é possivel ver um exemplo que o time de produto divulgou onde a tabela de alocação contem apenas o ID e a referencia dos blocos fisicos no disco, uma tabela contem os metadados basicos do arquivo e outra todos os “Key Values” juntos.

image

O conceito de “Key Value” é muito util pois podemos representar qualquer informação adicional sem a necessidade de criar tabelas em separado. Veja o exemplo abaixo, claro que teórico de como representar a melhora.

image

Note que no modelo NTFS temos uma “tabela” que representa apenas a criptografia e para cada agente de recuperação repete-se os dados. Multiplique isso por cada tipo de informação que um arquivo armazena no NTFS.

Em modelo baseado em estruturas de tabelas todas as informações estão em um unico lugar baseada no código do “Key” e o valor guarda os detalhes daquela informação, reduzindo o numero de tabelas para controle.

Isso irá reduzir a superficie de falhas por não serem x tabelas (ou blocos) para guardar e recuperar os dados, sendo mais simples ao SO juntar as informações e manter os backups (réplicas) atualizadas.

Nota: Não será possivel converter o sistema de arquivos, será necessário mover e reformatar.

Referencia http://blogs.msdn.com/b/b8/archive/2012/01/16/building-the-next-generation-file-system-for-windows-refs.aspx

Posted: jan 17 2012, 11:50 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Windows 2012 | Windows 8

Atualizado: Downloads da familia System Center 2012 Release Candidate

A Microsoft divulgou hoje um link muito interessante com a possibilidade de baixar todos os produtos SC 2012, incluindo os recem liberados SCCM 2012 RC2, DPM 2012 RC e SCSM RC.

Foi acrescentado a novidade, um instalador unificado para todos os produtos, alem do anuncio que agora será possivel ter uma SKU (licença) unica para toda a suite.

Ao clicar em download todos os produtos são baixados de uma só vez:

http://technet.microsoft.com/en-us/evalcenter/hh505660.aspx

Alem disso, também foi criado um portal com todas as documentações para os produtos System Center em http://bit.ly/sFArof

image

Teste desde já os produtos e esteja preparado o lançamento que está mais próximo!!!

Posted: jan 17 2012, 08:22 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Microsoft Management Summit 2012 - MMS 2012

image

Para quem é especializado em produtos de gerenciamento da família System Center este evento é especial (http://www.mms-2012.com/).

O ano passado não pude participar mas com a liberação das versões RC dos produtos System Center 2012 (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Download-de-Betas-e-RCs-da-familia-System-Center-2012.aspx) o MMS passa a ter uma importância fundamental para conhecer em primeira mão as novidades e, quem sabe, já estejamos com os produtos em RTM.

Além disso o MMS trata de todos os outros produtos que são utilizados no gerenciamento de um ambiente como o WSUS, AD, VDI, GPO e muitos outros (http://www.mms-2012.com/learningopps).

O mais interessante é que diferente do TechEd que é mais baseado em palestras, o MMS tem em seu formato Hands On, palestras técnicas e as sessões “Birds-Of-A-Feather” onde o participante tem a oportunidade de bate papos com o time de produtos, muito similar ao “Ask The Experts” nos TechEds em um formato mais informal. Alem disso, como já existe no TechEd é possível fazer exames a um valor diferenciado.

Este ano ganhei pelo time de produtos do System Center Operations Manager o ingresso para o evento pela participação nos feedbacks do produto, do qual já havia recebido um prêmio pela participação no VMM 2012. (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Vencedor-de-Outubro-do-VMM-2012-CEP-Community-Participation-Contest.aspx)

Durante o evento tentarei postar o máximo possível de informações e deixar todos informados das novidades.

Alem de mim sei que haverá pelo menos outros 2 brasileiros pela promoção da Microsoft Brasil (MIVP) e mandem e-mail outros que irão participar e desejarem nos encontrar para bater um papo por lá.

Posted: jan 11 2012, 10:15 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Eventos | System Center

Começando um novo ano de trabalho e balanço de 2011

Este ano calendar de 2011 foi um ano muito corrido, com grandes mudanças profissionais no meu caso.

Muito se falava ainda nos efeitos da crise no inicio do ano e que este ano ainda seria com crescimento imperceptivel, mas a verdade é que foi um excelente ano para TI com as empresas entrando de vez na onda de virtualização ao invés de simples upgrade nos atuais servidores.

Como foi 2011

Também foi um ano com muitas novidades em vislumbre de produtos, já que 2010 havia sido um ano pífio do ponto de vista das novidades. Incluo nisso a nova familia de produtos System Center 2012 (Roadmap da Familia System Center 2012) destacando o Orchestrator e AVICode como novidades, passamos a ter mais dados das esperadas versões do Windows Phone 7 Mango e do Windows 8 (Primeiras Impressões- Windows 8 Server Developer Preview). Em outras linhas vimos o VMWare 5 que também traz muitas novidades.

Profissionalmente Fevereiro foi um mês especial por dois motivos. O primeiro que pude participar pela primeira vez do MVP Summit em Redmond na sede da Microsoft, o que é um evento que em sí já é excelente, mas a oportunidade de conhecer onde alguns dos produtos que mais trabalhamos é feita e conhecer as cabeças por trás deles é muito bom.

Segundo motivo que fez de Fevereiro um mês especial foi que passei a integrar a equipe de Consultoria Global em Serviços de Infraestrutura (GICS) da Dell Computadores, que é formada por poucos profissionais, mas que são de grande conhecimento. Após 17 anos trabalhando como terceirizado ou prestador de serviços não tendo vinculo fixo com nenhuma empresa, foi um ótimo recomeço e a equipe extremente qualificada ajudou muito nisso.

Em 2011 completei 11 anos como MCT (Microsoft Certified Trainer) o que me alegra muito (Aprovação de MCT) pois fo assim que conheci muitos dos profissionais com que hoje trabalho ou interajo. Este ano assim que reabrirem as incrições, provavelmente no inicio de março, irei novamente renovar apesar de neste ano que passou ter minitrado treinamento apenas em Janeiro. Mas em 2012 pretendo retornar a sala de aula como instrutor agora com os produtos System Center 2012.

No ano de 2011 a Microsoft iniciou uma nova forma de divulgar conhecimento por meio dos “Centros de Treinamento” que tive a oportunidade de organizar e gravar parte de 3 deles:

Esse ano tive alguns post que me orgulho de ter feito e se tornaram os tops no meu blog em portugues e ingles (http://www.msincic.wordpress.com) :

Na parte de eventos pude participar da série MS TechDay que é organizada pela Fernanda Saraiva (@fefesariava) e outros MVPs como o Evilazario, Nakano, Donda, Helio Panissa, Nogare. Alem disso também pude participar do UNIT com outros grandes profissionais organizado pelo Jordano (@jordanomazzoni)

E claro, foi com enorme satisfação participar em meu 5º TechEd como palestrante (Microsoft TechEd 2011–Não deixe de comparecer).

Em Outubro o Daniel Donda (@danieldonda) e o Alexandro Prado (@alexandroprado) me convidaram a revisar e fazer o prefácio do e-book que montaram sobre GPO, que por sinal ficou excelente E-book Group Policy Objects - Da teoria à prática.

Ainda no mês de Outubro fui renovado como MVP (MVP 2011–Obrigado Comunidades) o que me deixou muito feliz. Neste ano tivemos um novo MVP Lead a partir de Fevereiro que é o João Paulo Clementi (@jpclementi) que está fazendo um ótimo trabalho, o que inclui uma renovação entre os MVPs, dando oportunidade a novos profissionais.

E agora em Dezembro para fechar o ano com chave de ouro eu e o Leandro Carvalho (@LeandroEduardo) fomos vencedores de uma iniciativa mundial para divulgação e participação nos testes do VMM 2012 Beta (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Vencedor-de-Outubro-do-VMM-2012-CEP-Community-Participation-Contest.aspx), o que mostra o valor da comunidade brasileira, pois foram apenas 6 profissionais do mundo que receberam o prêmio.

O que esperar de 2012?

Um ano com todos os lançamentos que teremos com certeza será um ano com muito trabalho.

Ainda neste inicio do ano se espera o lançamento da familia System Center, o que irá demandar muito estudo e familiarização com estes novos produtos, e consequentemente a re-certificação.

Esperamos em breve uma versão Beta do Windows 8 Server and Client e, quem sabe, este ano ainda teremos noticiais com dadas concretas do lançamento da versão final.

Não acredito em renovação ou novos rumos só porque o ano mudou, não adianta esperar Dezembro para fazermos um levantamento do que fizemos de bom ou ruim e traçar metas, isto deve ser feito constantemente, seja na semana ou no mês. O importante é medirmos nosso progresso e continuar avançando tecnica e profissionalmente a cada ciclo de avaliação.

Um abraço a todos que me apoiaram e espero poder ajudar outros profissionais como fui ajudado neste ano calendar que terminou.

Números

Em 2011 tive no meu site em portugês 107 mil visitantes únicos fazendo 225 mil visitas com 1,47 milhões de page views, o que representa um aumento de 47% sobre o ano de 2010.

image

Já minha versão em inglês do meu site (http://msincic.wordpress.com) o aumento foi de 410% na média de visitantes únicos levando em conta que iniciei no ano passado e este ano consolidei.

image

Posted: jan 02 2012, 19:37 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: MVP | Certificação | Outros
Login